O Gabinete de Guerra de Israel está programado para abordar os comentários de Biden sobre armamento

"O Gabinete de Guerra de Israel deve discutir a declaração do presidente americano sobre possíveis restrições no envio de armas caso Israel execute um ataque terrestre em grande escala na cidade de Rafah", relataram duas autoridades israelenses à CNN. "A ameaça de Biden de suspender parte da ajuda militar será um ponto-chave de discussão", acrescentaram. O gabinete de guerra revisará as avaliações das munições israelenses restantes, bem como os planos futuros de gestão e de ataques militares.

No entanto, parece improvável que a advertência de Biden desencoraje Israel de intensificar os ataques em Rafah, com as autoridades israelenses expressando desapontamento pela percepção de abandono por parte dos EUA em um momento crucial do conflito. A campanha de Israel em Rafah já deslocou mais de 80.000 palestinos, de acordo com a UNRWA.

"O custo para essas famílias é insuportável. Não há lugar seguro", postou a UNRWA em seu Twitter na quinta-feira. O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou que uma invasão terrestre israelense em Rafah seria "inaceitável", reiterando apelos por um cessar-fogo e a libertação de reféns pelo Hamas.



Fonte
CNN

Postar um comentário

0 Comentários