Evacuação iniciada em Rafah, sul de Gaza; Autoridade Palestina busca intervenção dos EUA

 

“A estimativa é de quase 100 mil pessoas”, disse um porta-voz militar ao ser questionado sobre quantas pessoas estão sendo retiradas desta cidade que faz fronteira com o Egito; Autoridade Palestina fala em “massacre”

O Exército israelense emitiu uma ordem de evacuação na segunda-feira (6) para o leste de Rafah, localizado no sul da Faixa de Gaza, após semanas de alertas sobre uma possível invasão iminente. Ao mesmo tempo, a Defesa Civil Palestina anunciou a ocorrência de bombardeios em dois bairros da cidade, conforme relatado por Ahmed Redwan, porta-voz da organização. Os ataques aéreos e de artilharia começaram no domingo à noite e aumentaram de intensidade durante a manhã de segunda-feira, atingindo os bairros de Al Shuka e Al Salam, ambos destacados entre aqueles previamente identificados pelo Exército israelense como áreas que a população civil deveria evacuar.

Em resposta à escalada da violência, a Autoridade Palestina fez um apelo aos Estados Unidos, solicitando sua intervenção para evitar a invasão de Rafah pelo Exército de Israel. A Autoridade Palestina alertou sobre possíveis repercussões perigosas caso a situação não seja resolvida de forma pacífica. Esses acontecimentos complicam ainda mais os esforços de mediação empreendidos por Catar, Egito e Estados Unidos para alcançar um cessar-fogo entre Israel e o movimento islamita Hamas.

O Exército israelense confirmou ter iniciado uma operação para evacuar temporariamente os residentes da parte leste de Rafah, estimando que cerca de 100 mil pessoas possam ser afetadas pela medida. Essa decisão ocorre em meio a um cenário de tensão contínua, com ambos os lados mantendo posições firmes. Enquanto isso, os esforços diplomáticos continuam, mas as negociações enfrentam desafios significativos devido à falta de progresso e à retórica inflamada das partes envolvidas.



Fonte
Jovem Pan


Postar um comentário

0 Comentários