Em junho, André Mendonça substituirá Alexandre de Moraes no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

 

Em 3 de junho, a passagem de Alexandre de Moraes pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) chegará ao fim, abrindo espaço para que André Mendonça assuma sua posição titular na Corte. Com o término do segundo biênio do atual presidente do tribunal, Moraes deixará de integrar a Justiça Eleitoral, deixando uma vaga em aberto no TSE. Mendonça, que é o ministro substituto mais antigo da Corte desde abril de 2022, ocupará esse espaço ao passar para a composição titular, garantindo mais quatro anos de mandato no TSE.

Além disso, outra mudança significativa no TSE com a saída de Moraes é a posse da ministra Cármen Lúcia na presidência do tribunal. Ela foi escolhida para o posto em uma eleição simbólica realizada nesta terça-feira (7), seguindo a tradição de que o magistrado do Supremo Tribunal Federal (STF) com mandato mais longo no TSE assume a presidência. Caberá a Cármen Lúcia comandar a eleição municipal de 2024.

O TSE é composto por sete ministros efetivos e sete substitutos, seguindo a proporção de três oriundos do STF, dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois advogados. Atualmente, a composição do TSE inclui Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Nunes Marques, Raul Araújo, Isabel Gallotti, André Ramos Tavares e Floriano de Azevedo Marques como ministros efetivos, e André Mendonça, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Antonio Carlos Ferreira, Ricardo Villas Bôas Cueva, Edilene Lôbo e Vera Lúcia Araújo como substitutos.



Fonte
CNN

 


Postar um comentário

0 Comentários