Programa BNDES Crédito Solidário Disponibiliza R$ 1 Bi A Juros Zero Para Recuperar Economia Gaúcha


  • Serão até 60 meses (5 anos) de prazo, com até dois anos de carência e valor máximo de até R$ 2,5 milhões
  • Haverá possibilidade de contratação com garantia via FGI PEAC
  • Produtores rurais, MEIs e MPMEs do Rio Grande do Sul acessarão os recursos via bancos e cooperativas repassadores dos recursos do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai disponibilizar uma linha de crédito no valor de R$ 1 bilhão para ajudar a recuperar a economia das cidades afetadas pelas enchentes provocadas pela passagem de um ciclone extratropical no Rio Grande do Sul.

A medida foi anunciada nesta terça-feira, 12, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado do vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin.

Os recursos, que poderão ser empregados como capital de giro, são destinados a produtores rurais, microempreendedores individuais (MEIs) e micro, pequenas e médios empresários das cidades atingidas pelo desastre.

A taxa de juros da nova linha, chamada Programa BNDES de Crédito Solidário, será corrigida apenas pela atualização da inflação (IPCA), o que, na prática, significa uma condição de taxa de juros real igual a zero para os tomadores do empréstimo.

Além disso, o tomador do crédito terá até 60 meses (cinco anos) para quitar a dívida, sendo que está incluído nesse período um prazo de carência de até 24 meses (dois anos). 

“O que nós podemos dizer ao povo do Rio Grande do Sul que foi prejudicado pela chuva é que o Governo Federal não faltará no atendimento das necessidades do povo da região. Seja pequeno e médio empresário, seja morador, sejam pessoas que perderam a casa. Nós vamos cuidar do povo com muito carinho, porque o povo não pode sofrer do jeito que está sofrendo”, destacou Lula.

“É nessas condições que o presidente Lula quer que o BNDES atue: para fortalecer e ser solidário”, disse o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, em vídeo divulgado nesta quarta, 13 (veja aqui). “Vamos reconstruir a economia local. Esse é um primeiro passo muito importante. Uma linha nova, com as condições mais favorecidas possível: sem juros, cinco anos para pagar e dois anos de carência”, explicou.

Garantia - Empresários que não têm a possibilidade de oferecer bens como garantia de suas operações de crédito terão os empréstimos assegurados pelo FGI PEAC, fundo garantidor do Governo Federal administrado pelo BNDES. O valor máximo de cada empréstimo será de R$ 2,5 milhões.

A nova linha poderá ser acessada por todas as instituições financeiras credenciadas do BNDES que atuam no estado do Rio Grande do Sul, dentre as quais, bancos comerciais, bancos cooperativos, cooperativas de crédito, bancos de desenvolvimento e agências de fomento. São essas instituições que irão repassar os recursos do BNDES a quem desejar acessar a linha. 





Autores
BNDS Imprensa

Retirado: Press Manager


Postar um comentário

0 Comentários