O Presidente Vladimir Putin Afirmou Que Não Haverá Um Novo Acordo De Grãos Até Que O Ocidente Atenda Às Exigências Da Rússia.

Essas declarações foram feitas após uma reunião bilateral entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que consideraria a reintegração ao acordo de grãos, desde que os países aliados da Ucrânia facilitassem as exportações agrícolas russas. Ele fez essa declaração após uma reunião bilateral com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Durante uma coletiva de imprensa, Putin afirmou: "Faremos isso quando os acordos sobre as restrições às exportações de produtos agrícolas russos forem aplicados." Ele também acrescentou que, se esses compromissos fossem cumpridos, a Rússia poderia voltar ao acordo "nos próximos dias".

Putin também mencionou que a Rússia está prestes a finalizar um acordo para fornecer cereais gratuitos a seis países africanos. Além disso, ele anunciou que a Rússia enviará 1,1 milhão de toneladas de grãos de baixo custo para a Turquia, a fim de serem processados e distribuídos aos países mais pobres.

Erdogan informou que a Turquia havia apresentado "novas propostas" para reativar o acordo de exportação de cereais ucranianos pelo Mar Negro, que havia sido alcançado no verão de 2022 com a mediação da Turquia e da ONU, mas foi suspenso pela Rússia em julho.

Apesar das discussões, os líderes não divulgaram anúncios concretos sobre a reativação do acordo de cereais nas próximas semanas. Essa reativação permitiria a exportação das colheitas de outono da Ucrânia, um dos maiores exportadores mundiais de grãos e óleo, com um impacto significativo no mercado alimentício global.

A conversa entre Putin e Erdogan aconteceu após negociações entre os principais diplomatas dos países em Moscou na semana passada, que não resultaram em um progresso aparente na retomada do acordo. Durante esse encontro, a Rússia apresentou uma lista de medidas que o Ocidente deveria adotar para que as exportações de grãos ucranianos fossem retomadas.

A reunião teve duração de cerca de 90 minutos, de acordo com a agência de notícias estatal russa Tass, e ocorreu em Sóchi, um resort russo localizado no Mar Negro, onde os líderes também se reuniram em agosto, logo após a assinatura do acordo original.

O acordo de grãos entre Rússia e Ucrânia, intermediado pela Turquia e a ONU, desempenhou um papel crucial no abastecimento global de alimentos. No entanto, a Rússia suspendeu o acordo em julho deste ano, alegando que as restrições às exportações russas de alimentos e fertilizantes não haviam sido cumpridas. A suspensão afetou o comércio agrícola entre ambos os países, que são importantes fornecedores de alimentos para várias nações em desenvolvimento.





Fonte
55invest


Postar um comentário

0 Comentários