Eneva Faz Novo Aporte De R$ 5,5 Milhões Na Sunne Para Impulsionar Energia Solar No Nordeste

A Eneva (ENEV3) anuncia um aporte adicional de R$ 5,5 milhões na Sunne, uma startup dedicada à oferta de energia limpa para pequenas e médias empresas no Nordeste. No ano passado, a Eneva já havia investido R$ 1 milhão na Sunne em conjunto com o grupo de investidores GVAngels.


A decisão de investir na Sunne se baseia em diversos fatores, incluindo a capacidade única da startup de fornecer energia limpa e sustentável para clientes de menor porte por meio de contratos flexíveis. A Sunne comercializa eletricidade proveniente de fontes renováveis e disponibiliza créditos dessa energia para seus clientes, o que resulta em economias de até 20% na conta de luz mensal.


A Sunne oferece dois produtos principais:

**Marketplace:** Responsável por prospectar comercialmente os consumidores.

**SaaS (Software as a Service):** Plataforma proprietária que facilita a gestão comercial entre os clientes e as empresas de energia.


A Eneva tem focado seus esforços na região Nordeste do Brasil, onde possui uma presença sólida no mercado do marketplace. A empresa também planeja inaugurar o complexo solar Futura I em Juazeiro, Bahia, ainda este ano, reforçando seu compromisso com a expansão das energias renováveis.


Rodrigo Calado, gerente geral de Novos Negócios da Eneva, enfatiza que a empresa valoriza a inovação e parcerias como ferramentas essenciais para desenvolver novos modelos de negócios. Ele destaca que o objetivo é oferecer soluções integradas alinhadas às tendências de digitalização, descentralização e descarbonização do setor energético.


Esse investimento na Sunne está alinhado com a estratégia da Eneva de apoiar empresas com modelos de negócios focados na economia verde, digitalização, eficiência energética, soluções para a comercialização de recursos e novas fontes de energia e armazenamento. Além da Sunne, a Eneva mantém outras empresas em seu portfólio, como a Voltta, dedicada à mobilidade urbana, e a Beenx, uma plataforma de negociação de energia elétrica.





Fonte
55invest


Postar um comentário

0 Comentários