Buscas Na Internet Por Termos Relacionados Ao Filme Da Barbie Foram 1217.65% Maiores Entre Os Brasileiros Do Que Por Oppenheimer, Aponta Semrush

 

Letícia Bernardes, da Agência Califórnia, analisa a estratégia de marketing dos títulos e aponta motivos que deram ao longa sobre a boneca o prêmio de preferência popular

São Paulo, setembro de 2023 - Sabemos que a batalha pela atenção dos consumidores é uma constante e acirrada competição entre diversas figuras, marcas e tópicos. Nos últimos tempos, dois nomes improváveis surgiram como concorrentes nessa disputa: a icônica boneca Barbie e o renomado físico J. Robert Oppenheimer. Pertencentes a mundos completamente diferentes, ambos conquistaram espaço na mídia e no dia a dia da população após a estreia dos longas no Brasil em 20 de julho. Enquanto os críticos e cinéfilos discutiam o desempenho técnico dos filmes, pessoas que há tempos não visitavam as salas de cinema voltaram a se entusiasmar com as telonas, vestiram literalmente a camisa e foram até as sessões mais próximas. Mas qual filme ganhou a disputa pelo interesse dos brasileiros?

 

De acordo com um levantamento da Semrush, plataforma de marketing digital especializada em visibilidade online, em julho, os termos relacionados ao filme da Barbie foram procurados 1217.65% vezes a mais na internet do que Oppenheimer. A boneca  teve cerca de 11.2 milhões de buscas no mês de estreia, enquanto o longa sobre a vida do físico contou com apenas 850 mil pesquisas.

 

Apesar da grande diferença no placar, o estudo também aponta que Oppenheimer teve um aumento de interesse maior quando comparado aos números de 2022. Durante o período de um ano, os termos relacionados ao título cresceram 9770.5% enquanto a procura por Barbie cresceu 2532.8%.

 

Com isso, Letícia Bernardes, gerente de marketing digital da Agência Califórnia lista cinco aprendizados que a movimentação do filme deixou para as marcas:

 

  1. Identidade da Marca: O filme efetivamente explorou a identidade visual e os valores globalmente reconhecidos da Barbie. A cor rosa, os cenários extravagantes, os acessórios e as roupas foram habilmente empregados para estabelecer um contraste entre o mundo de fantasia e a realidade. Além disso, o filme destacou que a Barbie transcende a mera boneca, transformando-se em uma fonte de inspiração para jovens garotas, encorajando-as a buscar seus sonhos.

 

  1. Geração de Expectativa: A abordagem do "medo de ficar de fora" (FOMO) foi habilmente utilizada pelo filme para gerar expectativa e interesse no público. A estratégia de divulgação rapidamente se espalhou pelas redes sociais, valendo-se de memes, vídeos, hashtags e influenciadores digitais. A produção também aproveitou o fato de ser um dos lançamentos mais aguardados do ano, lado a lado com o filme "Oppenheimer" de Christopher Nolan, intensificando uma sensação de urgência e exclusividade.

 

  1. Evocação de Nostalgia: O filme soube, hábil e estrategicamente explorar a nostalgia que a Barbie desperta em muitas pessoas que cresceram brincando com ela. O enredo sutilmente incorporou várias referências à história da boneca, seus modelos icônicos, suas amigas e até mesmo seu parceiro Ken. Além disso, o filme se utilizou de músicas, filmes e símbolos da cultura pop que evocam lembranças da infância e adolescência dos espectadores.

 

  1. Integração da Tecnologia de IA: O filme incorporou de forma inovadora a tecnologia de Inteligência Artificial para criar uma experiência interativa e personalizada para a audiência. Um aplicativo acompanhante permitiu que os espectadores tomassem decisões que influenciassem o desenrolar do enredo, interagissem com os personagens e recebessem conteúdo exclusivo. Além disso, algoritmos foram empregados para analisar os dados dos usuários, oferecendo recomendações e promoções de produtos relacionados à Barbie.

 

  1. Representatividade e Diversidade: O filme exemplificou a Barbie como uma figura inclusiva e diversificada, celebrando a variedade de gênero, raça, orientação sexual e tipos de corpo. A narrativa introduziu personagens provenientes de diversas origens, cada um com personalidades e estilos únicos, desafiando preconceitos e padrões impostos pela sociedade. O filme também abordou criticamente questões de machismo, patriarcado e consumo excessivo.




Autores
Giulia Martins

Retirado: Press Manager


Postar um comentário

0 Comentários